Ir

Chega uma época da nossa vida que precisamos pensar não só em nós,  mas também em quem nos acompanha. O final da universidade e a decisão de qual será o meu próximo passo é algo que vira a minha cabeça de uma tal forma, que em alguns momentos eu realmente não sei o que fazer. Se eu aproveito as oportunidades que as pessoas estão me dando ou se volto pra cada. Pra alguns, pode parecer egoísmo que eu só penso em mim, mas não é.  E a parte mais difícil em tudo isso, é tentar agradar as duas partes.  Eu e você. 

Sei que nem tudo será do agrado dos dois, que em algumas situações alguém vai ter que ceder e que as coisas precisam ser pensadas no plural e não no singular. Mas é difícil,  sabe. Não só pelo fato de eu ter que decidir o lado B ou C,  mas também de não querer te magoar; de tentar te mostrar que as escolhas que estou fazendo no momento são para o nosso futuro; que mesmo não parecendo eu penso em nós (e muito); que ter que escolher entre ir e ficar, você sabe que a minha vontade é a de ir. Sempre é de ir.

Ações

Me escreve uma carta, me manda uma mensagem no meio da noite, me liga só pra dizer “oi”, me leva café na cama, me assisti dormir, me beija na testa, me compra uma rosa, me chama de amor,  me faz sentir única,  me faz uma surpresa, me compra o mundo, me da o mundo, seja o meu mundo.

image

Ilustração: Monica Crema

Uma breve carta vinda do passado

“Faz tanto tempo que você não recebe uma carta que deve estar achando estranho ter chegado uma assim, do nada. Mas é que, sabe como que é, de vez em quando é bom a gente ler palavras de conforto e relembrar momentos bons da nossa vida.

Essa carta em especial é para te lembrar apenas uma coisa: Nunca desista dos seus sonhos, porque eles são o que te move. E que eu me lembre, você sempre foi muito sonhadora e conseguiu realizar, se não todos, a maioria dos seus desejos.

Você se lembra do primeiro? Aquele, realizado em 2012 que te arrancou muitas lágrimas e mudou completamente a sua vida? Tenho certeza que sim, afinal era tudo o que você mais queria, entrar em uma faculdade pública.

Sei que foi um choque para todos, inclusive para sua mãe que nunca imaginou que o seu bebê fosse sair de casa tão cedo pra estudar fora. Mas, graças a Deus, tudo deu certo e você recebeu todo o apoio do mundo nessa nova empreitada.

E o amor? Há, o amor. Ele também chegou na mesma época, revirando os seus sentimentos e te levando a fazer loucuras. Essas mesmas loucuras que te acompanham até hoje . E falando em hoje, espero que você tenha dado um novo passo com o seu amor. Aquele sonho em conjunto, sabe? Que veio com um pedido quando você menos esperava, e estando aonde você menos esperava, na Colômbia.

Depois disso foram só coisas boas. Ok! Algumas nem tanto, mas sei que todas  serviram de aprendizagem. Se me recordo você já está perto de se formar, certo? Ano que vem você já termina uma etapa de sua vida e começa outra. Com novas conquistas, lugares e pessoas.

Sobre os lugares por onde você já passou, sei que não foram muitos, porém não menos importante. O primeiro deles foi uma nova casa, com novas pessoas, em uma nova cidade e um novo Estado. A partir daí, foram mais duas casas, duas mudanças, novos colegas e que hoje já se tornaram amigos.

Sei que o lugar que mais te transformou não foi aqui, ou ai, ou aonde quer que você esteja, mas sim um novo país. Um país que te fez crescer grandemente, te ensinou diversas coisas, te deu novos amigos e te fez rever vários conceitos.

Um país que foi o primeiro – de muitos – que você vai conhecer. Um país que quebrou todas as barreiras de preconceitos e esteriótipos. Um país que se tornou sua casa durante seis meses. Um país que te mostrou que você não deve sonhar pequeno e, sim, o mais grande possível. Um país chamado Colômbia.

Eu sei, e você também, que pra chegar aonde você chegou muitos caminhos tiveram que ser trilhados e muitas escolhas tiveram que ser feitas, umas boas e outras não. Sobre coisas ruins graças a Deus você não (ainda e espero que não) passou por nenhuma. Claro que tiveram algumas decepções, momentos de nervo e até aqueles momentos que você pensou em desistir. Mas não desistiu! São coisas da vida e que de vez em quando é bom a gente passar por elas.

Não vou me alongar muito (mais do que já falei), porque sei que a sua vida anda muito corrida. Só quero que você saiba que eu sempre estarei com você em todos os momentos e se precisar chorar por uma vitória, chore; se você precisar fazer uma escolha, à faça com o coração; se você tiver que pedir desculpas mesmo que a errada não seja você, peça; mesmo que algo não de certo em um primeiro momento, creia; e o mais importante não deixe de ser você, de acreditar nas suas convicções e nos seus sonhos.

Ass. Eu”

Que o nosso amor tenha muitas cores e formatos [O medo de te perder]

2011
“Você já amou alguém?”
“Não sei, acho que sim. E você?
“Também acho que sim, mas acredito que o amor tem diversas formas.”

2015
“Lembra quando eu te perguntei se você já tinha amado alguém?”
“Lembro. E eu descobri o que é amar com você.”
“E eu descobri um novo amor ao seu lado.”

O meu amor por você mudou. O seu amor por mim mudou. O nosso amor mudou. E com todas essas mudanças, às vezes bate aquela insegurança se estamos no caminho certo. Eu acredito que sim e também sei que você é da mesma opinião, mas sabe como que é, de vez em quando passa umas coisas doidas na cabeça da sua namorada. E ela acaba te bombardeando com perguntas e questionamentos.

Questionamentos que fazem com que a gente relembre coisas, discorde de outras, trace novos planos, crie acordos e ria de assuntos bobos que possam surgir. Questionamentos que faz com que eu tenha medo de te perder e que a nossa história tenha um ponto final e não reticências.

Mas no meio de tudo isso, você vem e me presenteia com seu olhar, seu sorriso, seu abraço e toda forma de amor. Me mostra que esse sentimento de quatro letras só é pequeno no nome, porque todo o seu restante é grande que chega até a transbordar.

Transbordar pelas berradas, pelas ruas, pelos dedos entrelaçados, pela nossa casa, pelas palavras, pelas nossas juras, pelos beijos e pela nossa cama. Que o nosso amor não tenha apenas só um significado, mas que a cada dia a gente encontre uma forma de dizer o que ele representa, quais são as suas cores, o que ele causa e o que ele é. Que nesse momento, amor pra mim, é VOCÊ.

por Gabriella Pinheiro

O que você quer ganhar de presente?

Depois da separação dos meus pais o meu aniversário passou a ter um significado diferente para mim. Eu não tinha duas festas, não ganhava mais presentes e me sentia muito triste nessa época. Sim, família e amigos eu me sentia triste nessa data. Se houve uma mudança nesse sentimento, não posso afirmar que sim e nem que não, tudo depende do estado emocional que eu estou, do que anda acontecendo na minha vida, das pessoas que estão ao meu redor e quais são os meus sonhos futuros e do momento.

Sim isso é uma confissão e eu não quero que ninguém sinta pena de mim ou que pense que fez algo errado (isso é pra você pai). Coisas acontecem, aprendemos com elas e vamos levando a vida da melhor forma. Mas além desse desabafo,  hoje, completando 22 anos, percebi que eu não tenho mais o que pedir de presente, porque eu já ganhei – e conquistei – tanta coisa até o momento que quando alguém me faz essa pergunta eu realmente não sei o que responder.

Família maravilhosa, passei em dois técnicos, pude me dedicar aos estudos até os 18 anos, consegui um emprego logo que atingi a maioridade, conheci uma pessoa maravilhosa que foi e é muito importante nas minhas decisões e no que eu venho me tornando, passei em uma faculdade pública, tive o apoio de amigos e familiares, fui morar em outro estado, construí uma família em terras mineiras , estagiei na minha área, fiz um intercâmbio (um dos maiores presentes que eu poderia ganhar), minha mãe me bancou todo esse tempo fora, ganhei uma família colombiana, ganhei irmãs de intercâmbio, voltei para o Brasil e continuo na caminhada de novas conquistas. Tem mais o que pedir?  Não, não tem.

E no meio de tudo isso eu percebo o quanto Deus tem me abençoado, me guiado e me amparado nos momentos de crise. Estou distante da igreja, da palavra, de ter uma relação intima com o Ele, mas o Senhor sabe quais são os desejos do meu coração, o que eu sou grata, o que peço perdão e o quanto eu preciso dele.

E sinceramente hoje, no dia do meu aniversário, o que eu mais quero é dar do que receber. Dar um abraço em alguém que esteja precisando, distribuir sorrisos, afetos e amor. Que eu possa, de alguma forma, fazer a diferença, mesmo que seja miníma, na vida de alguém.

Que eu, você, nós aprendamos a dar muito mais do que receber. Tenho certeza de que assim o mundo vai se tornando bem melhor.

Y, feliz cumpleños para yo!

Pela beleza de observar a vida

2015 foi o ano que mais fiz menos coisas, mesmo ter passado o primeiro semestre na Colômbia, que para muitos já é muita coisa, e que para mim é pouco. Irônico não? Mas para falar a verdade desde que entrei na faculdade, mudei de cidade e comecei a viver uma nova vida, o meu ritmo interno também mudou, começou a ficar mais lento, mais observador.

Por um lado estranhei essa mudança, mas por outro já me acostumei com o fato de viver as coisas ao seu momento. Querendo ou não a Gabriella paulista, atarefada, sempre indo de um lado para o outro e sempre querendo fazer mil coisas ao mesmo tempo, aprendeu que com o tempo temos que começar a priorizar coisas e momentos.

E foi com esse priorizar que passei a observar mais ao meu redor, aproveitar um por-do-sol, uma tarde de bobeira, um simples telefonema, um olhar, um sorriso, as oportunidades e o mais importante, as palavras. Sim, as palavras. Aquelas que as pessoas falam, que os cantores cantam, que namorado escreve e as que os poetas recitam.

E com toda essa mudança interna e externa, eu também te convido a observar mais a vida, as coisas simples, o que te rodeia no dia a dia, os pequenos gestos e principalmente aquelas coisas que fazem transbordar os sorrisos mais sinceros.

Seja a mudança que você quer ver

Dizem por aí que quando passamos por algo transformador em nossas vidas, a nossa vontade de mudar o mundo, ou fazer a diferença em algo, começa a gritar mais alto. E felizmente isso é verdade. Depois que voltei da Colômbia (sim, tudo agora vai se remeter a isso), os meus olhos passaram  a ver as coisas de uma maneira diferente, o meu coração, os desejos passaram a ser outros e a minha opinião sobre algumas coisas, foram sendo modificadas.

É o que eu e as minhas novas irmãs (Chris e Amanda) sempre dizíamos nos últimos cinco meses, “quando passamos da fronteira tudo foi quebrado, pensamentos, preconceitos e o medo do novo e do desconhecido”. Sensação maravilhosa, tenho que admitir, e que todos deviam senti-lá pelo menos uma vez na vida.

Mas no meio de tanta mudança, no meio de tanta transformação, no momento, o que eu mais desejo é fazer o bem. Sim, fazer o bem. Para a minha família, meu namorado, para a vizinha, para quem vir pedir ajuda com algo e, até, para aquele morador de rua. Me doar mais para as coisas boas da vida, fazer aquilo que eu realmente gosto e parar (nem que seja um pouco) de reclamar, e passar a ver a beleza que existe nas coisas da vida.

Uma das coisas que as pessoas também dizem é que se queremos ver a diferença no mundo, ela tem que partir primeiro da gente pra depois ir contagiando os outros. E por isso eu convido todos vocês a fazerem a diferença na vida/para alguém, que você mude os seus hábitos, suas palavras, suas atitudes e quem sabe até os seus sonhos, para melhor, claro. Que você pare de reclamar que as pessoas não fazem isso ou aquilo, e seja o primeiro a dar esse passo. Que você mostre para elas que as coias, muitas vezes, são mais simples do que imaginamos e que se todos pararem de pensar só em si, as verdadeiras mudanças vão começar a aparecer e o resultado só vai ser um, a FELICIDADE.

1d3e8bb260403b6cf4d38421cd02acb0