Cansaço

Cansaço. Essa é a palavra que mais tem passado na minha cabeça. E não é qualquer cansaço, é aquele que consome seu corpo, mente e todo meu ânimo. Não é aquele cansaço saudável de que muitas coisas estão acontecendo, mas sim aquele que te deixa esgotada ao ponto de querer chorar pra ver se as lágrimas levam embora todo esse peso. Sim, um peso que meu corpo já não está dando conta de carregar e que faz com que todas as ideias, planos e projetos fiquem estacionados.

Coisas da vida; coisas da vida adulta; coisas de quem quer abraçar o mundo e vê que nem sempre isso é possível; coisas de quem está se preparando pra uma mudança, mas precisa concluir algumas etapas para dar espaço ao novo.

Anúncios

O que você quer ganhar de presente?

Depois da separação dos meus pais o meu aniversário passou a ter um significado diferente para mim. Eu não tinha duas festas, não ganhava mais presentes e me sentia muito triste nessa época. Sim, família e amigos eu me sentia triste nessa data. Se houve uma mudança nesse sentimento, não posso afirmar que sim e nem que não, tudo depende do estado emocional que eu estou, do que anda acontecendo na minha vida, das pessoas que estão ao meu redor e quais são os meus sonhos futuros e do momento.

Sim isso é uma confissão e eu não quero que ninguém sinta pena de mim ou que pense que fez algo errado (isso é pra você pai). Coisas acontecem, aprendemos com elas e vamos levando a vida da melhor forma. Mas além desse desabafo,  hoje, completando 22 anos, percebi que eu não tenho mais o que pedir de presente, porque eu já ganhei – e conquistei – tanta coisa até o momento que quando alguém me faz essa pergunta eu realmente não sei o que responder.

Família maravilhosa, passei em dois técnicos, pude me dedicar aos estudos até os 18 anos, consegui um emprego logo que atingi a maioridade, conheci uma pessoa maravilhosa que foi e é muito importante nas minhas decisões e no que eu venho me tornando, passei em uma faculdade pública, tive o apoio de amigos e familiares, fui morar em outro estado, construí uma família em terras mineiras , estagiei na minha área, fiz um intercâmbio (um dos maiores presentes que eu poderia ganhar), minha mãe me bancou todo esse tempo fora, ganhei uma família colombiana, ganhei irmãs de intercâmbio, voltei para o Brasil e continuo na caminhada de novas conquistas. Tem mais o que pedir?  Não, não tem.

E no meio de tudo isso eu percebo o quanto Deus tem me abençoado, me guiado e me amparado nos momentos de crise. Estou distante da igreja, da palavra, de ter uma relação intima com o Ele, mas o Senhor sabe quais são os desejos do meu coração, o que eu sou grata, o que peço perdão e o quanto eu preciso dele.

E sinceramente hoje, no dia do meu aniversário, o que eu mais quero é dar do que receber. Dar um abraço em alguém que esteja precisando, distribuir sorrisos, afetos e amor. Que eu possa, de alguma forma, fazer a diferença, mesmo que seja miníma, na vida de alguém.

Que eu, você, nós aprendamos a dar muito mais do que receber. Tenho certeza de que assim o mundo vai se tornando bem melhor.

Y, feliz cumpleños para yo!

Pela beleza de observar a vida

2015 foi o ano que mais fiz menos coisas, mesmo ter passado o primeiro semestre na Colômbia, que para muitos já é muita coisa, e que para mim é pouco. Irônico não? Mas para falar a verdade desde que entrei na faculdade, mudei de cidade e comecei a viver uma nova vida, o meu ritmo interno também mudou, começou a ficar mais lento, mais observador.

Por um lado estranhei essa mudança, mas por outro já me acostumei com o fato de viver as coisas ao seu momento. Querendo ou não a Gabriella paulista, atarefada, sempre indo de um lado para o outro e sempre querendo fazer mil coisas ao mesmo tempo, aprendeu que com o tempo temos que começar a priorizar coisas e momentos.

E foi com esse priorizar que passei a observar mais ao meu redor, aproveitar um por-do-sol, uma tarde de bobeira, um simples telefonema, um olhar, um sorriso, as oportunidades e o mais importante, as palavras. Sim, as palavras. Aquelas que as pessoas falam, que os cantores cantam, que namorado escreve e as que os poetas recitam.

E com toda essa mudança interna e externa, eu também te convido a observar mais a vida, as coisas simples, o que te rodeia no dia a dia, os pequenos gestos e principalmente aquelas coisas que fazem transbordar os sorrisos mais sinceros.

E ela chegou

E ela veio assim, como quem não quer nada, me lembrando do passado e presente, me falando que eu tenho que ser forte e sempre manter o sorriso no rosto. Mas ela também me disse que se o coração apertar e os olhos encherem de lágrima, eu não preciso me preocupar porque isso é normal, são apenas reações de um sentimento (não tão) bom.

Ela também é sorrateira, silenciosa, se faz de amiga e te pega nos piores momentos. Mexe com o seu ser, te faz de boba e te arranca lágrimas. Lágrimas de tristeza, de dor e de saudade. Saudade que demora para chegar, mas que quando chega te pega bem no meio do peito, que deixa as pernas bambas e a voz embargada.

Sim, ela chegou. Não totalmente, mas uma parte sim. E eu sinceramente espero que ela vá embora o mais depressa possível.

20150314_172252

Sensações

Silêncio, esperança é o que sinto quanto não te escuto e os únicos sons são das pessoas ao meu redor. Terror, medo é o que o seu jeito de tocar me causa. Mas no ápice da sua melodia você me traz serenidade, me conduz em uma dança de gestos e expressões. A cada pausa é uma pausa entre nós, a música e eu. E você vem novamente com toda sua força e me transforma em uma mulher a procura de algo ou seria de alguém? É nem eu mesma sei. Só sei que a cada nota, a cada melodia, a cada compasso, a cada linha e a cada silêncio eu me transformo em algo novo. Um novo ser, um novo destino, um novo eu.

por Gabriella Pinheiro

 

large (1)